quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

DA SUSTAINABILITY |«10 Trends for 2015»



Apple CEO Tim Cook's public coming out in 2014 highlighted
 the issue of LBGT workplace discrimination. 
Image © CC Mike Deerkoski


Quanto mais conhecermos a forma como outros perscrutam o futuro, mais fundamentaremos o nosso «olhar». Assim, partilhemos as «10 Trends for 2015» da SustainAbility - neste endereço. De lá, por exemplo:



  • «Silicon Valley giants Yahoo, Google, Facebook, Twitter, and Amazon made headlines in 2014 after finally disclosing their diversity figures. Tech companies are under increasing pressure from stakeholders, including civil rights activist Jesse Jackson, to tackle the predominantly “white male” composition of their workforces.
  • Apple CEO Tim Cook’s coming out publicly highlighted the extent to which LGBT discrimination remains an unresolved and rarely discussed issue in the corporate world.
  • Next year will see more companies announcing diversity targets that go beyond gender. For example, KPMG’s goals will be set across gender, race, disability and sexual orientation».

  • Inquérito sobre Cibercrime e Ciberterrorismo



    A Polícia Judiciária, juntamente com o INOV INESC Inovação, participa no projeto europeu CyberROAD, que visa desenvolver um Roteiro Europeu de investigação do Cibercrime e Ciberterrorismo.

    No âmbito do projeto está a ser feito um curto inquérito anónimo, que pretende recolher informação sobre a relação dos cidadãos e das organizações com o cibercrime.

    Pode aceder ao inquérito ou obter mais informações sobre o CyberROAD aqui.

    quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

    Empresas de TIC são mais produtivas



    As novas empresas de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) registam taxas de sobrevivência mais elevadas do que as organizações na área da indústria e nos serviços. A conclusão faz parte do estudo "Avaliação da Economia Digital", realizado pela OCDE, que estuda o papel das Tecnologias de Informação e da Comunicação (TIC) e da Internet na Economia.

    De acordo com o estudo, a produtividade do trabalho no setor da economia da informação é cerca de 60% superior à da economia total. As indústrias da informação representavam, em 2012, cerca de 6% do valor acrescentado total e estas empresas detinham também cerca de 4% do emprego total e 12% do investimento fixo total na zona da OCDE. 

    Quanto às receitas, o setor das TIC parece também resistir à crise, apesar da contração no investimento de investigação e desenvolvimento (I&D), quando comparado com aquele que habitualmente era feito no início da década. Ainda assim, em 2012 as empresas do setor não conseguiram ir além dos 3,8% de empregabilidade.

    As TIC em Portugal

    Em Portugal, segundo o estudo "Radiografia das TIC em Portugal", da Informa D&B, datado de maio de 2014, e referente às contas relativas ao exercício de 2012, o setor das TIC em Portugal é mais jovem na análise da idade das sociedades: a maioria das empresas do setor (53%) tem até cinco anos, o que não se verifica nas sociedades do restante tecido empresarial nacional (33%). As empresas TIC apresentam uma idade média de 7,4 anos (12,9 anos nas restantes), tem 42% de empresas consideradas jovens, i.e., com um a cinco anos de vida (27% nas restantes) e 11% de start-ups com menos de um ano (6% nas restantes). Na análise da idade, mais de metade das empresas do setor TIC tem menos de cinco anos (53%)

    domingo, 25 de janeiro de 2015

    A Internet Como a Conhecemos Vai Desaparecer



    Eric Schmidt no Fórum Económico Mundial,
     em Davos, na Suíça Ruben Sprich/Reuters 
    Tirada daqui.

    Eric Schmidt, chairman da Google, defendeu  em Davos que a Internet como a conhecemos tende a acabar nos próximos anos.

    «No seu lugar surgirá um ecossistema em que tudo está ligado e em que cada dispositivo será cada vez mais inteligente e personalizável. "Vão existir tantos endereços IP, tantos dispositivos, sensores, coisas que vamos vestir e com as quais vamos interagir que nem vamos ter noção disso", defendeu Eric Schmidt quando lhe pediram previsões sobre o futuro da Internet». Continue a ler.

    quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

    1.ª Conferência Anual da Rede Saúde



    A 1.ª Conferência Anual da Rede Saúde vai realizar-se na segunda-feira, 2 de fevereiro, no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa.

    A Rede Temática Interdisciplinar Saúde (Rede Saúde) é uma iniciativa da Reitoria da Universidade de Lisboa (ULisboa) para valorizar as competências de investigação e desenvolvimento da universidade numa área estratégica para a região e para o país.

    A ULisboa agrega, no conjunto das suas 18 escolas, grupos de investigação muito competitivos nas áreas da Biomedicina, Tecnologias e Políticas Públicas para a Saúde. O grupo inicial de peritos da Rede tem vindo a preparar um diagnóstico de competências internas e a debater os grandes desafios colocados à inovação em Saúde.

    A 1.ª Conferência Anual da Rede Saúde será um momento para partilhar estas reflexões com a comunidade académica da ULisboa e assim «fortalecer o trabalho colaborativo que permitirá à universidade reforçar o posicionamento estratégico enquanto parceiro competitivo do ponto de vista internacional», antecipa a organização.

    As inscrições são gratuitas mas obrigatórias e podem ser feitas aqui. No sítio na web da APDSI está disponível o programa.

    quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

    II Curso de Cibersegurança e Gestão de Crises no Ciberespaço (CGCiber 2015)



    O Instituto da Defesa Nacional (IDN), em parceria com a Academia Militar, vai realizar no ano letivo 2014/2015 o II Curso de Cibersegurança e Gestão de Crises no Ciberespaço.

    O curso pretende contribuir para a sensibilização e formação de quadros intermédios e superiores das estruturas do Estado e da sociedade civil, bem como de elementos com potencial para o desempenho de funções relevantes no futuro, habilitando-os a intervir em questões relacionadas com situações de crise no ciberespaço.

    As candidaturas para o II Curso de Cibersegurança e Gestão de Crises no Ciberespaço decorrem até 6 de fevereiro e as aulas começam a 16 de março. No total, o curso compõe-se de cinco módulos, cada um com a duração de um dia (6 horas), a decorrer nas instalações do IDN em Lisboa (módulos 1 a 4) e da Academia Militar na Amadora (módulo 5), subordinados aos temas:

    - Perspetiva Global do Ciberespaço, 16 de março;
    - Economia, Tecnologia e Segurança, 17 de março;
    - Cibersegurança, 19 de março;
    - Ciberdefesa, 20 de março;
    - Exercício de Decisão Estratégica, 26 ou 27 de março.

    A frequência do curso implica o pagamento de propina única no valor de 200 euros.

    Para mais informações sobre as candidaturas visite o sítio na web do IDN.



    terça-feira, 20 de janeiro de 2015

    «World Economic Forum | Global Risks 2015»



    Donde:
    «Box 1.7: Governing the Internet — the need for mechanisms to maintain a unified and resilient network
    The pace of innovation and the highly distributed nature of the Internet require a new approach to global Internet governance and cooperation. As more people rely on the Internet, the question of Internet governance becomes increasingly important. Two kinds of issues exist: technical matters, to make sure all the infrastructure and devices that constitute the Internet can talk to each other; and overarching matters, to address cyber crime, Net neutrality, privacy and freedom of expression.
    Responsibility for the technical infrastructure of the Internet is dispersed among several organizations, including the Internet Engineering Task Force (IETF) and the World Wide Web Consortium (W3C), the Regional Internet Registries (RIRs), the root servers’ operators, and the Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (ICANN). The solutions they propose – policy models, standards, specifications or best practices – spread through voluntary adoption or ad hoc conventions, regulations, directives, contracts or other agreements.
    No such systems exist for developing and implementing solutions to the overarching issues. Consequently, governments are feeling pressure to enact national measures to deal with their citizens’ data and privacy concerns. While laws that force the “localization” of infrastructure may be easier short-term solutions than collaborating to define global mechanisms for addressing the issues, the risk is that “data nationalism” could endanger the network effects that underlie the Internet’s ability to drive innovation and create social and economic value. (...)».

    O comunicado de imprensa em português aqui.

    quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

    Workshop "Interoperabilidade e Open Data na Covilhã"



    A Universidade da Beira Interior e o Pólo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica (TICE.PT) vão realizar um workshop subordinado ao tema "Interoperabilidade e Open Data", na quinta-feira, dia 22, nas instalações da Faculdade de Ciências da Saúde da UBI, na Covilhã.

    O programa está estruturado de forma a proporcionar «uma forte participação tanto das empresas como dos setores da investigação, ensino superior e organismos governamentais». De manhã serão abordadas temáticas de interoperabilidade e, durante a tarde, o tema Open Data.

    Os painéis terão os seguintes tópicos de discussão:
    - A Interoperabilidade na Saúde
    - Interoperabilidade na Administração pública
    - Open Data nos transportes
    - Open Data nas Cidades

    Este é mais um evento que conta com a participação de Luís Vidigal, da Direção da APDSI.

    As inscrições são gratuitas mas obrigatórias e devem ser feitas aqui e no sítio na web da APDSI já encontra o programa.

    ENCONTRO | Preservação Digital do Património Musical | JANEIRO 2015 | 15 | 14:30H | LISBOA






















    «O encontro intitulado "SOS Digital - Património musical e preservação digital: Atualização do estado atual do projeto continuidade digital e o universo da música", realiza-se a partir das 14:30, no espaço O'culto da Ajuda, em Lisboa.

    Em debate vai estar "a problemática do património digital, que aparece como sendo muito mais frágil e potencialmente muito menos perene, por causa da evolução tecnológica", disse à Lusa o compositor e músico Miguel Azguime, diretor do Centro de Investigação & Informação da Música Portuguesa, um dos participantes no encontro.
    Azguime salientou que, "ao contrário do que todos supõem, as plataformas digitais são mais perecíveis do que os tipos de arquivos que as antecederam".

    Uma das preocupações dos arquivistas é "a sucessiva alteração de suportes e sistemas operativos, impedindo, por exemplo, que um documento guardado em MS-DOS, não seja acessível"». Continue a ler.


    quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

    "A Gestão Documental na perspectiva do MoReq2010" disponível em versão digital




    Rafael António, autor do livro "A Gestão Documental na perspectiva do MoReq2010", disponibilizou a versão digital da publicação que lançou em outubro de 2012 na conferência da APDSI intitulada "Gestão Documental na Administração Pública".

    O livro parte do conceito de Gestão Documental, que mereceu ao longo do tempo várias abordagens, para se centrar na perspetiva resultante da publicação dos Requisitos Modelares para o Sistema de Gestão de Documentos de Arquivo, denominado Moreq2010, que constitui a versão mais atual do conjunto de publicações MoReq do DML Fórum, e o possível impacto que poderão vir a ter em Portugal.

    A organização e classificação de documentos, através do Serviço de Registo de Documentos, e a facilidade de migração entre diferentes plataformas, respeitando a conformidade explicitada no Serviço de Exportação, são as principais preocupações que o autor reflete no livro que pode descarregar gratuitamente aqui.

    Como principal conclusão surge a importância da adoção de uma nova arquitetura que implica o ajuste dos atuais modelos de organização de arquivos ao impacto das novas plataformas digitais.

    terça-feira, 13 de janeiro de 2015

    3.ª Conferência: Privacidade, Inovação e Internet



    A APDSI vai realizar, no próximo dia 30 de janeiro, a terceira edição da conferência Privacidade, Inovação e Internet. A iniciativa realiza-se entre as 9h00 e as 13h00 na Sala 2 da Culturgest, em Lisboa.

    A conferência, coordenada por José Gomes Almeida, pretende promover a discussão sobre como conjugar fatores com impacto nas nossas vidas, tanto os associados à proteção dos dados pessoais, como os relacionados com a adaptação aos desafios das novas soluções num contexto de estímulo e promoção da a economia.

    É possível uma coexistência pacífica e equilibrada entre o direito e a proteção de dados, o desenvolvimento e a inovação? A regulamentação local para dar resposta aos desafios globais é eficiente? Appification: oportunidade ou desafio? Estas são algumas das questões que vão alimentar o espaço de debate com o objetivo de fomentar o debate público sobre este novo prisma da Internet no qual os alvos se encontram tanto no terreno técnico, como no jurídico, como no dos valores culturais e comportamentais.

    Isto acontece, não só em resultado das soluções que vão sendo disponibilizadas para uso e exploração da Internet mas, principalmente, porque é cada vez mais aguda a consciência da população relativamente aos riscos a que estão expostos os seus valores associados à segurança e à estabilidade.

    O programa está disponível no sítio na web da APDSI.

    A inscrição na conferência é gratuita e pode fazê-la aqui.

    domingo, 11 de janeiro de 2015

    Um museu de Serviços Públicos do Futuro


    Ver Aqui

    «BRIEF: Exhibition design for THE MUSEUM OF FUTURE GOVERNMENT SERVICES, opening in Dubai on the 10th of February, an interactive design futures exhibition launched at the UAE Government Summit.
    SOLUTION: The Museum explores the future of travel, healthcare, education and urban services. It brings together over 80 designers, technologists and futurists from nearly 20 countries to imagine how these services could be changed in the coming years.
    The first of its kind, the Museum goes far beyond written reports or special effects. (...)».
     

    sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

    Governação Pública Eletrónica em debate em Portimão


    A Governação Pública Eletrónica vai estar em debate no sábado, dia 24, no TEMPO - Teatro Municipal de Portimão. A conferência, intitulada "E-Government - Por um novo modelo de Estado na Sociedade da Informação" será da responsabilidade de Luís Vidigal, da Direção da APDSI. O início está marcado para as 15h00.

    Na sessão vai ser apresentada uma nova visão do Estado, «colaborativo, interoperável, em tempo real e orientado aos eventos de vida dos cidadãos e agentes económicos, chamando a atenção para os aspectos políticos, socio-organizacionais e semânticos na introdução das tecnologias da informação na administração pública», lê-se no comunicado.

    Licenciado em Gestão de Empresas e em Ciências Sociais e Políticas. Fundador e Membro da Direção da APDSI (Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação), Luís Vidigal foi dirigente de topo nas áreas de tecnologias de informação, tributárias e da modernização administrativa; Foi membro da Direção do Conselho Internacional de Informática das Administrações Públicas, é docente convidado de alguns estabelecimentos de ensino superior e profissional, participou como conferencista, perito e consultor em numerosas missões internacionais da OCDE, União Europeia e Banco Mundial nas áreas de e-Government e IT Governance e é autor de numerosos trabalhos publicados no país e no estrangeiro.

    A conferência faz parte do Projeto "Entre Arquivos", da Universidade de Évora, e visa a realização de um ciclo de eventos na área da arquivística que vai levar especialistas aos diferentes Arquivos do Algarve, num sábado de cada mês.

    quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

    Mais de um milhão de portugueses vêem TV online



    O computador e os dispositivos móveis estão a ser cada vez mais utilizados para ver televisão. Os resultados são do estudo divulgado no final do ano passado pelo Bareme Internet da Marktest que revela que o acesso a conteúdos televisivos online é preferido por 20,9% dos homens e por 8,3% das mulheres e entre as classes sociais mais elevadas.

    No total, o estudo conclui que cerca de 15% dos portugueses vêem televisão online, uma percentagem que se materializa num total de um milhão e 219 mil utilizadores deste tipo de serviço.

    Neste universo, que apenas contabiliza indivíduos com idade a partir dos 15 anos, destacam-se os jovens: cerca de um terço dos indivíduos com idades entre os 15 e os 34 anos costumam usar a Internet para ver conteúdos televisivos. Nas faixas etárias mais avançadas a percentagem vai diminuindo, acabando por não chegar aos 2% entre os mais idosos.

    A região da grande Lisboa é aquela onde um maior número de clientes vê tv online.

    terça-feira, 6 de janeiro de 2015

    «10 trends in business intelligence in 2015»



    Ver neste endereçoaqui.

    «Tableau Software presents its top 10 trends in business intelligence in 2015, including transformed data governance, improved social intelligence, and organizational analytics.
    As part of our series of 2015 predictions, here are Tableau Software's top 10 predicted trends in business intelligence for 2015: 

    1. Business IntelligenceGovernance is transformed - Just as the business intelligence landscape has transformed to self-service data, so too must governance transform. Simple approaches like locking down all enterprise data won’t work any longer—nor will the approach of doing away with any process at all. Organizations will begin to investigate what governance means in a world of self-service analytics.
    2. Social Intelligence is a competitive advantage   (...)»
    Continue.




    sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

    Retrospectiva da ONU 2014