segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

itSMF Portugal volta a organizar o encontro "IT'S TIME TO TALK ABOUT"



A itSMF Portugal organiza mais uma edição do evento "IT'S TIME TO TALK ABOUT...", desta vez sob o tema "Gestão de Serviços TI, certificação e internacionalização". O encontro realiza-se na próxima quinta-feira, dia 23 de fevereiro, na Universidade Lusófona do Porto, a partir das 14h45.

Um grande número de empresas de Tecnologias de Informação são motivadas para a certificação por necessidades relacionadas com a manutenção da competitividade no mercado, outras pelo objetivo estratégico de melhorar o seu desempenho e capacidade de resposta, através da melhoria dos seus processos.

A norma internacional ISO 20000-1, com requisitos para processos baseados em ITIL, tem em Portugal um número crescente de organizações interessadas na sua implementação e certificação,muito devido ao objetivo da internacionalização.

Nesta edição do "IT'S TIME TO TALK ABOUT" vai ser analisado o roadmap para a Implementação e Certificação pela ISO 20000-1 em especial numa PME.

"IT'S TIME TO TALK ABOUT" é uma iniciativa da itSMF Portugal coordenada por Joaquim Morgado e José Carlos Martins. A realização desta edição tem a coordenação de Mário Rui Costa e conta com o apoio da Universidade Lusófona do Porto.


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Reino Unido vai reforçar cibersegurança com o apoio de privados


O National Cyber Security Centre do Reino Unido, situado desde outubro de 2016 no centro de Londres, desafiou as empresas do setor privado a "treinar e a colaborar" na defesa cibernética do país. A notícia é avançada pela agência Reuters que lembra que nos últimos três meses foram registados 188 ataques a estruturas do país.

A iniciativa, intitulada "NSCS Industry 100" quer envolver os intervenientes da indústria para "identificar ameaças, vulnerabilidades e desenvolver conselhos para combater ataques cibernéticos".

A Lockheed Martin foi uma das primeiras empresas a aceitar o pedido de colaboração e anunciou que vai lançar um "programa de trabalho-estudo" destinado aos alunos universitários.

Segundo a Reuters, o National Cyber Security Centre faz parte de um investimento de cerca de 2,23 mil milhões de euros, e pretende aumentar as defesas cibernéticas do Reino Unido.

De recordar que a cibersegurança foi um dos temas do 15.º Fórum da Arrábida da APDSI, que decorreu também em outubro do ano passado, e cujo relatório final pode ler aqui.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

ERSAR renova site e aposta na interatividade


A ERSAR - Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos renovou o site e fez uma aposta na interatividade numa nova forma de apresentação de informações. O trabalho resulta de uma colaboração com a Create IT. A integração de repositórios permite, agora, por exemplo, serviços de comparação de tarifas praticadas pelas várias entidades.

O site assenta em tecnologias da plataforma Sharepoint, da Microsoft, e também apresenta elementos sobre a gestão de reclamações em formato de gráfico e tabela. É multilingue e está pensado para suportar a visualização em vários tipos de dispositivos. O utilizador pode fazer pesquisa sobre relatórios e outra documentação, tarifas, qualidade dos serviços e da água.

"No contexto da nossa estratégia de aproximação ao consumidor estávamos perante a necessidade de criar um novo site que permitisse dar corpo a essa estratégia, fazendo uso de uma linguagem acessível e disponível em qualquer plataforma, com particular destaque para os dispositivos móveis", afirma Luís Engrossa, director de TI da ERSAR à Computerworld.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Empresas de TIC fazem exposição anti-Trump



97 empresas de tecnologia e de outros setores similares apresentaram no tribunal de recursos dos Estados Unidos, uma declaração contra a ordem de controlo de imigração do presidente do país, Donald Trump.

Google, Facebook, Intel, Netflix, Microsoft, Apple e Twitter estão entre o grande segmento empresarial.

No documento as empresas aludem ao «potencial disruptivo das restrições» agora implantadas e defendem «os benefícios de regras liberais de imigração para as indústrias, em geral». O documento lembra ainda que «os imigrantes estão entre os nossos principais empresários, políticos, artistas e filantropos».

A ordem executiva assinada pelo presidente a 27 de Janeiro suspendeu por 90 dias a entrada de imigrantes e não-imigrantes originários do Irão, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iémen. As empresas de TIC consideram a medida como a primeira de uma série, planeada pela administração Trump para restringir a entrada nos Estados Unidos de trabalhadores qualificados de que a indústria depende.

Além de ordem de Trump «dificultar a capacidade das empresas americanas para atrair grandes talentos, aumenta os custos impostos às empresas», alega a declaração das empresas.

Entretanto, nesta sexta-feira, o decreto anti-imigração continua suspenso e o tribunal mantém a decisão de rejeitar o recurso de Trump.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Adira ao Grupo Glossário da Sociedade da Informação da APDSI


O Grupo Glossário da Sociedade da Informação da APDSI convida os sócios a integrarem o seu espaço de debate e de trabalhos, contribuindo para o enriquecimento de uma das mais prestigiadas e reconhecidas apostas da Associação.

Os Grupos Permanentes são constituídos por sócios individuais da APDSI, por representantes de sócios coletivos, ou ainda por individualidades de relevo na área temática, expressamente convidadas a colaborar temporária ou permanentemente. Estes grupos são estruturas dinâmicas e configuradas como redes colaborativas.

O grupo de trabalho permanente do Glossário da Sociedade da Informação funciona desde 2005 e tem como objetivos a recolha, sistematização e divulgação da terminologia portuguesa usada ou considerada mais adequada para exprimir os conceitos relevantes da Sociedade da Informação. 

Este projeto conduziu à elaboração do Glossário da Sociedade da Informação, que está disponível aqui, e conta atualmente com mais de mil termos.

Na sequência da continuação do trabalho desenvolvido até agora, a APDSI convida os sócios interessados nesta matéria a integrarem o grupo, que reúne de três em três semanas, na sede da APDSI, das 14h30 às 18h00.

Para integrar o Grupo Glossário da Sociedade da Informação contacte o secretariado da APDSI, para secretariado@apdsi.pt.

Assembleia-Geral eleitoral da APDSI com data marcada


Nos termos do n.º 1 do Art.º 10.º dos Estatutos, convocamos os associados da APDSI - Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação, para a Assembleia-Geral Eleitoral Ordinária, a realizar no dia 7 de março de 2017, pelas 18h00 na sede da APDSI, na Rua Alexandre Cabral, 2C - Loja A, em Lisboa, com a seguinte ordem de trabalhos:

1. Apreciação e votação do relatório, balanço e contas apresentado pela Direção, bem como o parecer do Conselho Fiscal, relativos ao exercício de 2016;
2. Eleição dos  Órgãos Sociais para o triénio 2017-2020;
3. Discussão e aprovação da proposta de Orçamento ordinário e do Plano de Atividades para o exercício do ano de 2017 da lista eleita;
4. Outros assuntos de interesse associativo.

Não se encontrando presentes aquela hora a maioria dos associados com direito a voto, a reunião realiza-se meia hora depois, em segunda convocatória, funcionando com qualquer número de associados.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Comissão Nacional de Proteção de Dados quer mais recursos para aplicar o novo regulamento europeu



A Comissão Nacional de Protecção de Dados precisa de mais recursos para aplicar o novo regulamento europeu, que implica um maior acompanhamento por parte da entidade. A revelação foi feita pela presidente da CNPD, Maria Filipa Calvão, num debate promovido pela ACEPI.

A presidente aconselhou as empresas fornecedoras de serviços de proteção de dados a usarem o enquadramento legal em perspetiva, para se protegerem.

A responsável assinalou que a organização tem falta de recursos humanos (apenas três pessoas com conhecimentos em TIC) para fazer face às solicitações que, no caso das startups, são muito frequentes. "O problema deverá agudizar-se devido a mudanças no tipo de ação que a comissão terá de adotar: mais no sentido de orientar as empresas e acompanhar os estudos de impacto, que as organizações terão de fazer", afirmou Maria Filipa Calvão.

Apesar de reconhecer que é aconselhável a redução do número de membros do corpo central da comissão, ressalva ser necessário o reforço de recursos humanos da organização no todo.

Filipa Calvão avançou ainda que a CNPD está a trabalhar com congéneres europeias para se alcançar uma maior harmonização do novo regulamento na União Europeia.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017