quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

A APDSI anuncia a Conferência “Os Conflitos na Era da Inteligência Artificial"





A APDSI organiza a Conferência “Os Conflitos na Era da Inteligência Artificial”, que irá decorrer no próximo dia 30 de janeiro de 2020, entre as 14:00 e as 17:30 horas, no Auditório da Reitoria da Universidade Nova de Lisboa.

A Conferência “Os Conflitos na Era da Inteligência Artificial” enquadra-se na atividade do Grupo de Missão “Futuros da Sociedade da Informação” (GFSI) da APDSI. Este grupo tem o objetivo de desenvolver reflexões e pensamento estratégico sobre o futuro da Era Digital, nomeadamente antecipar mudanças, “desenhar” cenários de futuros alternativos no domínio da Sociedade da Informação (SI), constituindo-se também como um espaço de aprendizagem coletiva ajudando a APDSI a preparar as suas recomendações e orientações bem como melhorar a capacidade de influenciar as políticas futuras no domínio da SI.

Em junho de 2016, o GFSI apresentou e publicou o trabalho “O Aprofundamento da Era Digital - Um Cenário para 2030” e mais recentemente em janeiro de 2018 apresentou e publicou o trabalho “No Limiar da Autodeterminação da Inteligência Artificial?”, editado em livro pela APDSI e apresentado em 22 de fevereiro de 2018.

Com o apoio da AFCEA, pretende-se realizar um evento na forma de Conferência (entrada livre), com uma duração aproximada de 4 horas (uma tarde) para debater como poderão ser os conflitos ou novas formas de conflitos no futuro, numa era em que a Inteligência Artificial irá ter um papel determinante e que não se confinará apenas a aspetos tecnológicos.

Com o título de “Os Conflitos na Era da Inteligência Artificial”, pretende-se, numa primeira intervenção a cargo da AFCEA, debater questões de vertente tecnológica, e numa segunda, esta da responsabilidade da APDSI, analisar-se de que forma a tecnologia e em particular a inteligência artificial poderão ter um papel de manipulação social capaz de modificar as nossas consciências, individuais e coletivas, alterando afetos, atitudes, crenças e comportamentos humanos em contextos de futuros ambientes de cyberconflitos e de cyberagressão.






terça-feira, 14 de janeiro de 2020

A APDSI anuncia a Conferência “Inteligência Artificial ao serviço do Cidadão e das Empresas”





A APDSI organiza a Conferência “Inteligência Artificial ao serviço do Cidadão e das Empresas”, que irá decorrer no próximo dia 12 de fevereiro de 2020, entre as 09:00 e as 13:00 horas, no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva, em Lisboa.

A Conferência “Inteligência Artificial ao serviço do Cidadão e das Empresas” é organizada pelo Grupo de Missão de Inteligência Artificial da APDSI. Nesta conferência pretende-se mostrar o impacto positivo que a utilização da Inteligência Artificial pode ter numa maior adequação dos serviços prestados pela Administração Pública (AP) ao cidadão e às empresas e também na forma como a Inteligência Artificial (IA) pode trazer um maior desenvolvimento baseado em ganhos de produtividade num quadro de maior segurança e inclusão dos cidadãos.

Esta iniciativa está organizada em duas partes. Na primeira serão apresentados casos de sistemas da AP que utilizam a Inteligência Artificial procurando-se mostrar os ganhos que os mesmos trouxeram para as entidades, o cidadão ou as empresas.  Na segunda parte da conferência haverá uma discussão aberta sobre a estratégia para o desenvolvimento da Inteligência Artificial na Administração Pública com a participação de responsáveis destas áreas procurando apontar para uma visão e um caminho realista para a sua concretização.

Não deixe de marcar presença em mais um momento de reflexão sobre a transformação do setor da Administração Pública.




A APDSI anuncia o MeetUp “O Sector das TIC em Portugal”





A APDSI organiza o MeetUp “O Sector das TIC em Portugal”, que irá decorrer no próximo dia 21 de janeiro de 2020, entre as 17:00 e as 19:00 horas, no Gabinete de Estratégia e Estudos (Rua da Prata, n.º 8), em Lisboa. Este evento tem a colaboração e apoio institucional do Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia (GEE).

Visando contribuir para o conhecimento e discussão fundamentada da economia digital em Portugal, compilou-se a informação disponibilizada pelas principais fontes institucionais de produção estatística e a informação normativa afim, designadamente o enquadramento legal de apoios financeiros e as políticas públicas relativas à digitalização socioeconómica.

O ponto de partida foi a delimitação do setor TIC com base num determinado conjunto de códigos CAE (Classificação portuguesa das atividades económicas, INE).

No essencial, considerando a sua evolução ao longo deste princípio de século (XXI), procede-se ao levantamento das características economicamente relevantes do tecido empresarial afeto ao setor TIC e seus diversos subsetores de atividade (estrutura empresarial e distribuição regional, quantidade de empresas e de pessoal ao serviço, remunerações, valores de produção e de volume de negócios, VAB, FBCF, etc.); analisa-se também a evolução dos mercados internacional e nacional de bens e serviços TIC, assim como a implementação de políticas públicas orientadas para a digitalização da economia e o concurso do tecido empresarial TIC às suas linhas de financiamento.

Partindo de alguns índices internacionais, acresce ainda uma síntese sobre o posicionamento de Portugal no contexto da economia digital. Supõe-se, de resto, que o presente trabalho de caracterização do setor TIC em Portugal é relevante para lidar com as virtualidades e fraquezas que ali se identificam.



Faça a sua inscrição aqui.


Consulte o programa do encontro.

A APDSI realizou o MEETUP “Inteligência Artificial nos Serviços Públicos – Um Caso Prático”


A APDSI, com o apoio do Instituto dos Registos e do Notariado, organizou no dia 11 de dezembro um meetup centrado no tema “Inteligência Artificial na Transformação dos Serviços Públicos – Um Caso Prático”, em Lisboa.

Os serviços públicos assumem um papel essencial na sociedade portuguesa, sendo a sua disponibilidade e acessibilidade aspetos centrais da gestão pública. No entanto, apesar dos desenvolvimentos operados a este nível, ao nível local, setorial e transversal da Administração Pública, a maioria dos organismos continua a sofrer uma grande pressão e dificuldade de resposta à procura.

A área da Justiça e, em particular, os serviços dos Registos e Notariado, têm sido, pela sua natureza, particularmente desafiados na área do atendimento e, em consequência, têm vindo a realizar ao longo dos anos profundas alterações no seu modelo operativo.

Já no contexto atual de transformação digital, destaca-se a recente introdução nos seus serviços de um chatbot potenciado por recurso extensivo a inteligência artificial, que promete aumentar significativamente a eficiência e a precisão de resposta aos utentes. Esta inovação foi dada a conhecer por Sofia Carvalho, Vice-Presidente do IRN, que apresentou a “IReNe”, a assistente virtual do IRN que tem vindo a proporcionar uma experiência de serviço personalizado para os serviços de Cartão de Cidadão, com recurso a linguagem natural, clara e portuguesa com boa fonética.

Fernando Reino da Costa, CEO da Unipartner, deixou a sua visão e abordagem de transformação no meetup da APDSI, começando por deixar uma visão atual de como se encontra o mercado dos chatbots: 80% conseguem responder a perguntas genéricas, reduzem os custos operacionais do organismo em 30%, 37% dos internautas já recorrem a chatbots para obterem respostas em caso de emergência e, no ano passado, só o Facebook já registava a presença de mais de 300 mil chatbots.

À luz de vários aspetos, este pode ser visto como o assistente perfeito porque nunca dorme ou se ausenta, é a primeira linha de contacto com o cliente, pode “falar” com várias pessoas ao mesmo tempo, dá respostas coerentes a diferentes perguntas e ainda preserva o histórico da conversação.

O evento foi encerrado pela Secretária de Estado da Justiça, Anabela Pedroso.

Vídeos do evento

  • Apresentação do caso prático “IReNe”
  • Visão e abordagem de transformação
  • Encerramento e Conclusões

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

A APDSI realizou a Conferência “Saúde e Inovação Digital”


Retomando o hábito anual de dedicar dezembro à temática da Saúde, a APDSI voltou a realizar a Conferência “Saúde e Inovação Digital”, no dia 10 de dezembro, no Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa.
Para os profissionais de saúde que começaram a trabalhar nos anos 80, muitas foram as mudanças que enfrentaram na relação com os utentes e novos horizontes se abriram no desempenho diário das suas funções. Muitas novas práticas vieram trazer mais eficácia e eficiência, apesar de alguns sobressaltos pelo meio, mas hoje assiste-se a uma maior robustez nas soluções e a uma maior precisão na previsão das contingências. Esta foi a nota introdutória deixada por Teresa Sustelo de Freitas, Presidente do Conselho Diretivo do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa.
A Professora Maria Helena Monteiro, Presidente da Direção da APDSI, congratulou-se pelo público presente em mais uma sessão do evento que, por hábito, encerra o ano de trabalhos da APDSI desde 2004, e deixou um agradecimento a todos os oradores “pela partilha de experiências e conhecimentos”. Soluções assentes na evolução das novas tecnologias para problemas que são partilhados entre instituições públicas e privadas, foi o que se procurou demonstrar através das apresentações. “Temos uma elevada incidência em doenças com grau de previsibilidade semelhante e, nesses casos, podemos cada vez mais contar com participação do cidadão”, observou a professora.
As áreas da Med Tech (tecnologia na indústria da medicina) e Bio Tech (a indústria de biotecnologia) estão a fazer com que todos entremos na fase da doença cada vez mais tarde. Portugal é uma montra digital do que de melhor se faz nestas grandes tendências que fundem saúde e tecnologia.
Como olhamos para uma medicina cada vez mais preventiva? Como pode a voz ser utilizada como meio de diagnóstico? Como é que as tecnologias podem acelerar o processo de cura? A Inteligência Artificial pode vir a ser utilizada na saúde, como já, noutros setores, no dia-a-dia?
Estas foram algumas das questões lançadas por Filipa Fixe, da Direção da APDSI, para o debate e que deram mote às apresentações realizadas no decorrer da manhã de 10 de dezembro.

Vídeos da conferência

PAINEL 1: “A ESTRATÉGIA DO DIGITAL NO ECOSSISTEMA DA SAÚDE”
  • Sara Carrasqueiro | Vogal do Conselho Diretivo da Agência para a Modernização Administrativa (AMA)
  • Henrique Martins | Presidente do Conselho Diretivo dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS)
PAINEL 2: “INOVAÇÃO NA SAÚDE: DIGITAL, BIOTECH e MEDTECH”
PAINEL 3: “QUAL POTENCIAL DOS DADOS EM SAÚDE? MELHORES CUIDADOS, MAIS INOVAÇÃO?”
  • Ensaios clínicos – Oportunidades e Desafios (Caso SIGEC)
    Tiago Amaral | Glintt
  • Cuidados Intensivos – abordagem e casos de sucesso (ehCOS SmartICU)
  • Integração de informação clínica, demográfica, científica e meteorológica para o controlo inteligente de doenças infeciosas (Case study Projeto RESISTIR)
  • Paulo Sousa | Maxdata
  • NHS Business Services Authority – Como a Exploração de Dados transforma o NHS
    Nuno Marques | Oracle
  • Teleconsulta e Telemonitorização clínica – Produtos Medigraf e SmartAL
    Telma Mota | Altice
  • Healthcare Analytics – Empower every Health Professional to explore data at SNS
    Luís João | Microsoft
  • Mercy – Real World Evidence (RWE) Insights as a Service
OS DESAFIOS DA INOVAÇÃO EM SAÚDE: Visão Nacional
  • Ponciano Oliveira | Vogal do Conselho Diretivo da A.R.S. Norte, IP
  • Luís Pisco | Presidente do Conselho Diretivo da A.R.S. de Lisboa e Vale do Tejo, IP
  • José Lopes| Vogal do Conselho Diretivo da A.R.S. do Alentejo, IP
  • Paulo Morgado | Presidente do Conselho Diretivo da A.R.S. do Algarve, IP

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

SAVE THE DATE | A APDSI anuncia a Conferência “Inteligência Artificial ao serviço do Cidadão e das Empresas”





A APDSI anuncia a Conferência “Inteligência Artificial ao serviço do Cidadão e das Empresas”, que irá decorrer no próximo dia 12 de fevereiro de 2020, entre as 09:00 e as 13:00 horas, em Lisboa.

A Conferência “Inteligência Artificial ao serviço do Cidadão e das Empresas” é organizada pelo Grupo de Missão de Inteligência Artificial da APDSI. Nesta conferência pretende-se mostrar o impacto positivo que a utilização da Inteligência Artificial pode ter numa maior adequação dos serviços prestados pela Administração Pública (AP) ao cidadão e às empresas e também na forma como a Inteligência Artificial (IA) pode trazer um maior desenvolvimento baseado em ganhos de produtividade num quadro de maior segurança e inclusão dos cidadãos.

Esta iniciativa está organizada em duas partes. Na primeira serão apresentados casos de sistemas da AP que utilizam a Inteligência Artificial procurando-se mostrar os ganhos que os mesmos trouxeram para as entidades, o cidadão ou as empresas.  Na segunda parte da conferência haverá uma discussão aberta sobre a estratégia para o desenvolvimento da Inteligência Artificial na Administração Pública com a participação de responsáveis destas áreas procurando apontar para uma visão e um caminho realista para a sua concretização.

Não deixe de marcar presença em mais um momento de reflexão sobre a transformação do setor da Administração Pública.

Reserve o dia na sua agenda e faça a sua inscrição aqui.

A APDSI adere à Campanha Anticorrupção


No passado dia 09 de dezembro, a APDSI participou no evento de celebração do Dia Internacional Contra a Corrupçãoorganizado pela APEE (Associação Portuguesa de Ética Empresarial) e pela GCNP (Global Compact Network Portugal).
Estendendo-se a todas as organizações da sociedade portuguesa, esta iniciativa enquadra-se na Campanha Anticorrupção, que foi lançada no dia 18 de setembro de 2019 com o objetivo dar resposta à Call to Action Anticorrupção do United Nations Global Compact. Esta iniciativa consiste “num apelo, por parte do setor privado, aos governos dos diferentes estados para promover medidas anticorrupção e implementar políticas que estimulem o estabelecimento de sistemas de boa governação”.
Os próximos passos estão a ser traçados e vão passar pela criação e implementação de uma estratégia que procurará fomentar uma maior integridade na sociedade portuguesa, de modo a melhorar a reputação de Portugal e aumentar a confiança no ambiente de negócios.
APDSI subscreve integralmente a necessidade de apelar ao envolvimento dos governos das Nações Unidas para que promovam medidas anticorrupção eficazes e políticas robustas de incentivo a quem faz bem. 
Defendemos igualmente que uma boa forma de abordar esta temática é aplaudir e premiar as boas práticas quer no setor público quer no setor privado, no sentido da criação de relações que, não deixando de ser em mercado competitivo e comercial, possam guiar-se pelos princípios da equidade, da justiça e da transparência.
No que de nós depender, enquanto promotores ou intermediários, comprometemo-nos a guiar toda a nossa ação pelos princípios que aqui subscrevemos: de transparência, de equidade e de justiça, em prol do desenvolvimento global.  
Nuno Guerra Santos, Vogal da Direção da APDSI
Documentos: