terça-feira, 22 de agosto de 2017

Há nova versão da plataforma SaphetyGov


A versão 6 da SaphetyGov, a plataforma eletrónica de contratação pública da Saphety, já está disponível e tem uma nova área dedicada a fornecedores da administração pública.

O novo SaphetyGov, que surge com uma imagem renovada e várias melhorias, disponibiliza ainda uma nova área relativa a serviços avançados. Segundo a PC Guia o objetivo da nova versão é facilitar a interação entre os fornecedores e entidades adjudicantes.

Os utilizadores podem aceder às novas funcionalidades de pesquisa por categoria ou localização.

A disponibilização destes serviços na plataforma SaphetyGov traz, segundo a Saphety, «novas vantagens para o setor empresarial, com o objetivo de simplificar os processos desempenhados pelas empresas que estabelecem relações comerciais com a administração pública».

De recordar que, em 2014, a APDSI abordou precisamente os recursos do Estado, através de uma apresentação de Jaime Quesado, presidente da ESPAP, na conferência intitulada "Administração Pública Eletrónica 2014 - O que falta fazer?".

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Brasil na lista de países com a Internet mais lenta



O Brasil é um dos países com a mais lenta velocidade de ligação à Internet. Um estudo feito este mês pela Ookla coloca o Brasil na 70.ª posição do mundo em termos de velocidades de ligações fixas e móveis à Internet.

Face a anos anteriores, a Internet brasileira tem visto a sua velocidade subir muito lentamente ao longo do tempo. As ligações são tão fracas que colocam o país atrás de territórios menos desenvolvidos como o Líbano, a Guatemala, o Perú, a Malásia, a Bósnia e o Sri Lanka, entre outros.

Se analisarmos as velocidades de acesso à Internet por banda larga fixa, o Brasil fica na 72.ª posição entre os 133 países do ranking. As velocidades médias de download são de 16,42 Mbps e de 6,46 Mbps de upload. No ano passado indicavam 13,57 Mbps para download e 4,92 Mbps para upload.

No que diz respeito à Internet móvel, a posição é ainda mais baixa: a 76.ª posição, mas que ainda assim apresenta uma evolução mais rápida. Em julho deste ano registou-se uma velocidade média de ligação de download de 14,91 Mbps e de 5,93 Mbps de upload, valores superiores aos do período homólogo em que se verificavam 11,49 Mbps para download e 4,31 Mbps para upload.

A Internet fixa mais rápida do mundo está na Singapura: 154,38 Mbps de download e 151,64 Mbps para upload.

Em Portugal as velocidades médias de acesso à Internet têm descido. Este ano a Internet móvel registou valores mais lentos o que levaram o país a perder seis lugares na classificação (19,86 Mbps). Do lado da Internet fixa, a perda não foi tão significativa: apenas duas posições.

De recordar que, em 2011, já a APDSI debatia questões relacionadas com as diferenças de velocidade nos acessos à Internet em Portugal no evento "Net Neutrality - Neutralidade da Internet: Problemática, estado da arte em Portugal".

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Gurus mundiais da tecnologia na Alfândega do Porto a 28 de setembro



A 3.ª edição da Porto Tech Hub Conference terá lugar no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, onde a 20 de setembro são esperados mais de 1000 espectadores para assistir à conferência internacional que, desde 2015, reúne no Porto alguns dos mais reputados especialistas mundiais da área tecnológica para debater e apresentar as últimas tendências do setor.

Este ano, o maior evento de tecnologia realizado no Porto vai estrear um novo formato, apresentando oito oradores que vão abordar, ao longo de um dia inteiro, temas diversos que vão do conteúdo técnico, a tendências tecnológicas, passando por perspetivas mais abrangentes sobre as tecnologias de informação.

A associação Porto Tech Hub, entidade organizadora do evento, já revelou os nomes dos primeiros três oradores com presença confirmada na edição de 2017: Simona Cotin, Cloud Developer Advocate da Microsoft; Benjamin Fuentes, Bluemix & Blockchain Advocate da IBM; e Simon Ritter, Deputy Chief Technology Officer da Azul Systems.

Depois de, na última edição, ter contado com a participação de speakers nacionais e internacionais de empresas de renome, como a Google, Spotify, The Guardian, Facebook e Ebay, a Porto Tech Hub assegura que,  nas próximas semanas, serão anunciadas mais surpresas.

«No ano passado tivemos 650 pessoas no Hard Club e uma procura largamente superior à nossa capacidade, pelo que este ano optamos por um local maior. Por outro lado, entendemos abandonar a realização de conferências em simultâneo, para permitir que todos os participantes possam ouvir todas as talks, não tendo que optar entre duas em que gostariam de estar presentes», destaca Paula Gomes da Costa, presidente da associação Porto Tech Hub, em comunicado enviado à imprensa.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Em novembro a APDH fala sobre "Integração de Cuidados e Literacia em Saúde"



A APDH - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar - está a organizar a Conferência "Integração de Cuidados e Literacia em Saúde - Capacitar o Cidadão no SNS", em colaboração com o Núcleo de Apoio Estratégico do Ministério da Saúde (MS) e o patrocínio institucional da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Em simultâneo vai também decorrer a 11.ª edição do Prémio de Boas Práticas em Saúde®, nos dias 23 e 24 de novembro, na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa - ESTeSL.



sábado, 5 de agosto de 2017

Portugal ganha duas medalhas de bronze nas Olimpíadas Internacionais de Informática 2017


O secretário de Estado da Educação, João Costa, e o presidente da Direção da APDSI, Luís Vidigal, estiveram na passada sexta-feira, dia 4 de agosto, no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, para receber a equipa portuguesa que representou Portugal nas Olimpíadas Internacionais de Informática que decorreram em Terrão, no Irão.

Portugal conquistou duas medalhas de bronze. Os alunos premiados foram Duarte Nascimento, aluno do 12.º ano da Escola Secundária da Amadora, e Henrique Navas, aluno do 12.º ano da Escola Secundária D. Filipa de Lencastre, em Lisboa.

Já a 10 de junho, os oito primeiros classificados da Final das Olimpíadas Nacionais de Informática participaram no CIIC (Concurso Ibero-Americano de Informática e Computação), cujas medalhas foram também entregues na cerimónia de encerramento das IOI’ 2017. Esta competição internacional juntou 96 concorrentes oriundos de 13 países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Espanha, México, Perú, Portugal, Porto Rico, República Dominicana e Irlanda (como país convidado).

Aqui, Portugal obteve cinco medalhas, sendo que duas medalhas de prata foram conquistadas por Kevin Pucci e Henrique Navas e as três medalhas de bronze foram obra de Guilherme Penedo, Duarte Nascimento e Tiago Verdade.

O Secretário de Estado da Educação tem vindo a manifestar o seu apreço pelos jovens em várias iniciativas. Sobre a sua presença na informática, João Costa já admitiu em diversas ocasiões ser uma área fundamental para o desenvolvimento de competências importantes para o futuro da população mais jovem.

Desde 1992 que Portugal participa neste evento, enviando os seus melhores alunos selecionados através das Olimpíadas Nacionais de Informática, um concurso de âmbito nacional, promovido e organizado pela APDSI - Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação, em colaboração com o Departamento de Ciência de Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, destinado aos jovens que frequentam o ensino secundário ou o ensino básico em todo o território nacional.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Reino Unido está a fazer uma consulta pública sobre Inteligência Artificial


O governo inglês quer saber quais as consequências económicas, éticas e sociais que a introdução de sistemas de inteligência artificial poderá ter na economia. Para isso, segundo a imprensa britânica, o comité da Câmara dos Lordes para a Inteligência Artificial (IA) convocou especialistas e outros cidadãos para uma consulta pública, sobre os sistemas e sua aplicação, assim como "soluções pragmáticas" para eventuais problemas.

No grupo inclui-se o debate de assuntos como o surgimento monopólios por parte das grandes empresas e os naturais benefícios a eles associados. Também pode vir a ser necessário uma maior compreensão pública sobre a IA e surge a hipótese de o governo ter de desempenhar um papel na regulação da utilização dos sistemas.

A medida surge numa altura em que a IA está a atrair cada vez mais a atenção do setor das TIC, dos decisores políticos, mas também do público em geral. "O comité pretende usar os resultados da consulta para perceber que oportunidades existem para a sociedade no desenvolvimento e uso da IA, assim como os riscos quem podem existir", descreve o presidente do comité, Lord Timothy Clement-Jones, em comunicado.

Num estudo, a Royal Society recomendou o planeamento e gestão cuidadosas da implantação da tecnologia para garantir que os benefícios sejam partilhados pela sociedade.

O comité prevê apresentar os contributos até setembro e conclusões até março de 2018.

Em maio a APDSI também abordou, em conferência com a professora Manuela Veloso, os possíveis problemas e consequências adversas e favoráveis da inteligência artificial e da robótica. Encontra todos os resultados da conferência aqui.